Pular para o conteúdo principal

Posicionamento da Adegraf em relação ao pregão do MTE

Brasília, 19 de abril de 2007

Ref.: Pregão Presencial nº 11/2007
A/C Sra. Norma Geane Garcia

Prezada senhora Norma Geane,

A Associação de Designers Gráficos do Distrito Federal – Adegraf, tomou conhecimento do Pregão Presencial nº 11/2007 e, portanto, vem manifestar-se sobre alguns itens do referido edital. 

Gostaríamos, primeiramente, de informar que a Adegraf é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, cuja finalidade é congregar profissionais e contribuir para a promoção do Design Gráfico na região. Para isso, promove profissionais competentes; auxilia na capacitação dos associados; respeita e divulga os padrões éticos da profissão e orienta as relações entre os profissionais e clientes.

A Adegraf, ainda, busca posicionar-se como referência para o mercado, fornecendo informação, orientação e consultoria sobre Design Gráfico. Com essa intenção, foram divulgadas a Tabela Referencial de Valores e a Tabela de Cargos e Salários, ambas disponíveis no site da associação www.adegraf.org.br.

A respeito do Pregão Presencial nº 11/2007, observamos, dentro da especificação do quadro de mão-de-obra, que há três funções que dizem respeito à área de Design Gráfico, mas que não estão exigindo profissionais com formação adequada. Dessa forma, vimos esclarecer e justificar nossa manifestação.
5.3.11 Supervisão de edição e editoração
5.3.13 Formatador/Diagramador
5.3.14 Criação de layout/Ilustrador

No item 5.3.11, sugerimos que seja solicitada a contratação de um Designer Gráfico, com formação específica e mais tempo de experiência. O Designer é capaz de coordenar de forma mais eficiente os trabalhos citados, pois dispõe de conhecimento tanto técnico-criativo, quanto de produção, para:
- a orientação no desenvolvimento dos projetos gráficos, com adequação de elementos ao conceito determinado;
- o aproveitamento de recursos de impressão;
- a sugestão de materiais de impressão e de acabamento;
- o planejamento da criação com níveis diferentes de complexidade;
- dirimir problemas técnicos de produção;
- atender os clientes internos, traduzindo suas necessidades em soluções gráficas;
- manter a identidade corporativa da instituição, de forma que haja unidade na linguagem de todas as peças gráficas, impressas ou virtuais, ajudando a conferir à instituição uma imagem de organização e credibilidade.

Caso seja necessário um profissional que elabore os textos, sugerimos que seja criado um posto de trabalho específico para esse fim, uma vez que um Jornalista não tem conhecimento técnico para cuidar de fluxos de produção gráfica, assim como um Designer não tem conhecimento para cuidar da elaboração de textos.

Nos itens 5.3.13 e 5.3.14, também sugerimos que sejam contratados Designers Gráficos. É importante que esses profissionais tenham formação de nível superior em Desenho Industrial ou Design, pois além de realizar a diagramação de trabalhos, irão elaborar projetos gráficos e criação de todas as peças desenvolvidas. Além da experiência nos softwares descritos, é importante que o profissional tenha domínio do Photoshop, pois é a principal ferramenta de tratamento e edição de imagens.

Um formatador ou diagramador tem conhecimento apenas para adequar um texto a um projeto gráfico já existente, não sendo capacitado para desenvolver criação.

A Adegraf pretende, com as informações prestadas, contribuir para que o serviço contratado pelo Ministério do Trabalho e Emprego seja bem prestado. Com o emprego de mão-de-obra correta, todos saem ganhando. Ganham os profissionais que se capacitam para desenvolver um trabalho específico, encontrando colocação no mercado de trabalho. Ganha a instituição que os contrata, pois sua comunicação interna e externa se torna mais eficiente, uma vez que há a aplicação de conhecimento técnico para dar forma a textos que serão lidos, a informações que serão divulgadas, a imagens que irão representar conceitos de modo mais claro e objetivo. Isso tudo se reflete, em última instância, em redução de custos e em eficiência na comunicação.

Nos colocamos à disposição para orientar, sem custo, a elaboração de editais, a seleção de profissionais qualificados ou qualquer outra necessidade que envolva a contratação de serviços de Design Gráfico. Entregamos, anexo a esta carta, um exemplar do nosso Catálogo de Associados Adegraf 2007, para ilustrar a qualidade dos serviços que o MTE tem condições de contratar.

Na esperança de teremos nossas sugestões acolhidas, subscrevemo-nos.

Patrícia Weiss
Presidente da Adegraf
presidência@adegraf.org.br
www.adegraf.org.br

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Referencial de Valores da Adegraf 2016-2018

Está no ar a nova Tabela Referencial de Valores da Adegraf. Trabalho desenvolvido a muitas mãos, a Tabela deste ano está mais completa e muitos termos foram revistos e atualizados, visando sua melhor compreensão por parte do público, tanto dos profissionais que a utilizam quanto do mercado.
Esperamos que ela continue servindo de referência a todos e agradecemos o trabalho conjunto dos associados que ajudaram na realização deste projeto. Clique aqui para fazer o download ou copie e cole o link: http://media.wix.com/ugd/819e53_64a1447f6e234ee79612f012c49dd43e.pdf

Diretoria Adegraf


A Marca do Designer

Em 1986, após sua saída da Apple, Steve Jobs chamou Paul Rand – um dos mais influentes designers gráficos do século XX – para criar a marca de sua nova empresa, a NeXT. Desse projeto, Jobs tirou lições que, segundo ele, todo o designer, cliente ou empreendedor deveria considerar.
Nesta entrevista, ele contou como foi trabalhar com Paul Rand e o que aprendeu com o designer. 

Já nós, designers, podemos aprender com a postura profissional de Paul Rand, se posicionando como especialista para resolver o problema da empresa. Jobs o descreve como, “mais que um artista, um solucionador de problemas de negócios”.
Steve Jobs desejava que sua nova empresa tivesse um símbolo que fosse imediatamente associado à marca – algo que leva muito tempo e dinheiro para acontecer na mente do consumidor. Segundo ele, Rand encarou o projeto como um problema a ser resolvido, e não como um desafio artístico em si. 


"O significado de uma marca deriva da qualidade do que ela representa, e não o contrário.&qu…

O DESIGN E A CIDADE

Nesse meu percurso escrevendo sobre Brasília Cidade Criativa do Design, percebo ainda mais o quanto os acontecimentos são sazonais. São momentos de muitos eventos, e outros de pouca exposição. Dessa vez, temos muita promessa para o futuro, enquanto o aqui agora está por acontecer!
Semana passada houve importante encontro com a Adegraf e IESB, assim continuando a parceria estabelecida anteriormente com o convênio de desconto para associados Adegraf. 
Em 2019 está previsto em Brasília o "X Encontro Internacional de Políticas Públicas e Design", de 11 a 13 de setembro no Centro Universitário IESB; o último evento aconteceu em novembro de 2018 no Uruguay, organizado pela Red Latinoamericana de Políticas Públicas y Diseño, como momento de reflexão, colaboração, aprendizado, troca de experiências e impulsionamento de Políticas Públicas para o Design.
Políticas públicas de Design são importantíssimas e geram impacto positivo para o desenvolvimento econômico e social. 
Segundo Gabri…