Pular para o conteúdo principal

Réplica da Adegraf para a resposta da Rede Sarah sobre o Processo Seletivo


_____________________________________________________________

Prezada Sra. Luciana Rossi,

Agradecemos a resposta e a atenção de vocês em analisar nossas considerações sobre o Processo Seletivo vigente para a contratação de um(a) designer gráfico.
No caso da ocorrência de divergências sobre a profissão do designer gráfico, a atuação da Adegraf sempre foi visando encontrar a conciliação ou o entendimento sobre possíveis soluções para o conflito.
Como o processo seletivo tem algumas fases até a contratação definitiva do(a) designer, acreditamos que ainda existe tempo suficiente para uma mudança em relação à nomenclatura e à classificação das exigências em relação à formação superior dos participantes.
Como representante dos profissionais e dos estudantes no Distrito Federal, a Adegraf recebeu diversas manifestações contrárias à iniciativa descrita no Edital - no caso específico, das exigências referentes à formação superior dos candidatos. Sabemos que profissionais estão se organizando para questionar as referências do Edital em processo judicial. E pelo menos uma faculdade está nesse mesmo caminho.
Nossa solicitação foi com a proposta de tentar evitar conflito maior e para não atrasar a contratação de um(a) colega designer gráfico. Em função disso, reiteramos nossas considerações.

Atenciosamente,
Wagner Alves
Presidente da Adegraf



Postagens mais visitadas deste blog

BRASÍLIA CAPITAL DESIGN

O DESIGN E A CIDADE

Nossa Brasília nasceu de um projeto inovador com a promessa de desenvolver o Centro do Brasil. A cidade de todos os brasileiros respira inovação e inspira criatividade!
Cidade Criativa da UNESCO* na área de Design, desde 2017,este reconhecimento nos trouxe mais comprometimento em contribuir com a economia criativa, os direitos humanos, realizar eventos e exposições, deixando um legado consistente para a formação, inclusão e continuidade do titulo conquistado!

Muita coisa boa já estava acontecendo nos últimos 5 anos, fizemos jus ao titulo!
Há um ano tivemos aqui a 12ª Bienal de Design Gráfico, inédita em nossa cidade e ponto de partida para tantos excelentes eventos que acontecem atualmente, tais como, o Seminário Internacional de Economia Criativa (Brasília2060), Brasília Design Forum e o MAPA Design Brasília, bem como a 1ª Mostra Brasília Cidade Design, com diversas obras inspiradas em nossa capital, ícone do modernismo no Brasil.
Há cada 4 anos a Unesco avalia e a…

Type Design Brasileiro na Bélgica: país bate seu recorde de participantes na conferência da ATypI

Presença da “delegação brasileira” confirma o crescente interesse pelo mercado, ensino e pesquisa em Tipografia no país. O mais importante evento do segmento contou com palestra do tipógrafo brasiliense Rafael Dietzsch.














A 62ª conferência anual da Association Typographique Internationale - ATypI aconteceu entre 11 e 15 de setembro na Antuérpia, cidade belga famosa pela sua tradição tipográfica, em especial pelo Museu Plantin-Moretus. O museu está localizado no prédio da gráfica Plantin Press, fundada no século XVI por Christoffel Plantijn e passada ao genro Jan Moretus após sua morte. Em excelente estado de conservação e uso, é considerado desde 2005 Patrimônio Mundial da UNESCO pela sua importância educacional, científica e cultural.

Com o tema Legacies (Legados), a ATypI 2018 teve em sua programação um dia de workshops (terça 11) por toda a cidade; um dia com duas sessões simultâneas de palestras com temáticas técnicas / de mercado e acadêmicas / experimentais (quarta 12); e três dia…

A Marca do Designer

Em 1986, após sua saída da Apple, Steve Jobs chamou Paul Rand – um dos mais influentes designers gráficos do século XX – para criar a marca de sua nova empresa, a NeXT. Desse projeto, Jobs tirou lições que, segundo ele, todo o designer, cliente ou empreendedor deveria considerar.
Nesta entrevista, ele contou como foi trabalhar com Paul Rand e o que aprendeu com o designer. 

Já nós, designers, podemos aprender com a postura profissional de Paul Rand, se posicionando como especialista para resolver o problema da empresa. Jobs o descreve como, “mais que um artista, um solucionador de problemas de negócios”.
Steve Jobs desejava que sua nova empresa tivesse um símbolo que fosse imediatamente associado à marca – algo que leva muito tempo e dinheiro para acontecer na mente do consumidor. Segundo ele, Rand encarou o projeto como um problema a ser resolvido, e não como um desafio artístico em si. 


"O significado de uma marca deriva da qualidade do que ela representa, e não o contrário.&qu…